Roberto das medalhas

Roberto marchou resoluto, com seu uniforme de gala carregado de medalhas por bravura. Sabia que àquela altura já deviam tê-lo identificado e contabilizado cada uma de suas façanhas ostentadas no peito, sem contar incontáveis outras que havia infligido e não haviam entrado nos altos oficiais.
Alguém havia falhado miseravelmente em seu trabalho de inteligência, isso ou pela primeira vez em 300 anos a Comissão fora infiltrado por um espião, o que soava menos horroroso do que a alternativa: gestara um traidor…
Gostaria ele de ter tido sorte equivalente com os inimigos, uma oportunidade como essa de acertar os maiores e melhores heróis reunidos e desarmados em um baile de gala secreto. 2000 dos mais habilidosos e corajosos de toda a história jaziam sob escombros, mortos por mísseis e robôs teleguiados, sem chance de reação. Pela primeira vez ir ao banheiro salvara sua vida.
Os miseráveis arrogantes só não haviam contado com uma coisa…. Ele nunca estava desarmado…

Anúncios

Sobre Dalton Almeida

Escritor, jornalista e game designer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: