Modo fantasma 1/2

Modo fantasma
– Capitão na Ponte! – todos os oficiais levantaram em posição de sentido, enquanto o primeiro oficial abria espaço para Lúcio passar pela escotilha.
– Descansar. Homens, acabo de ler o relatório enviado pelo centro de comando. Há alguma comoção em andamento em Brasília. Nos deram ordens de desaparecer e manter …. – respirou fundo, mas calmamente – postos de batalha. – um pesado silêncio tomou o ambiente.
Passaram-se poucos segundos, logo o primeiro oficial começou a falar mecanicamente, levando o comunicador preso ao teto aos lábios.
– Posições de batalha, luz vermelha, silêncio total!
Uma luz vermelha tomou conta do espaço. Ao fundo, a voz do Hiroshi nas comunicações.
– AE FHC, saindo da escolta, entrando em modo fantasma. – um curto chiado.
– Boa sorte Tupã. Obrigado pela proteção, de agora em diante ficamos por nossa conta. Só mantenha a bateria em prontidão. Desligo.
– Descer para 280 metros, sentido sul, devemos nos posicionar em águas internacionais entre as costas de Rio de Janeiro e São Paulo. – disse o Capitão.
– O que está acontecendo senhor? Essas ordens não fazem sentido. Devíamos estar em curso de reunião com a Quarta Frota americana para exercícios. – o primeiro oficial não perdia de vista um único movimento do timoneiro enquanto questionava.
– A quarta frota está a caminho da Costa carioca, juntamente com o Porta-aviões FHC, enquanto o São Paulo e o Minas Gerais receberam ordens de proteger o resto da Amazônia Azul. A OTAN está em alerta. Nosso presidente foi removido para o Bunker sob o Palácio do Planalto, junto ao Primeiro Ministro Inglês. Querem nosso filhote nuclear desaparecido. Fora o alto comando, ninguém sabe que não estamos mais na doca seca.
O oficial recebeu a pasta com algumas folhas impressas. Lá, abaixo de “Secreto”, estavam as ordens e o motivo. “Ataque de aeronaves não identificadas, não humanas, confirmação da NASA, ESA e Rússia de um grupo de naves não identificadas atrás da Lua. Frota americana no mar do norte em frangalhos.
– Isso só pode se brincadeira… – olhou incrédulo o oficial para o Capitão.
– Dúvido. Ativaram os misseis com ogivas nucleares de nosso submarino e o arsenal americano e russo está de prontidão para ser enviado ao espaço como medida de desespero.
– Caralho…desculpe senhor…
– Ao ver essas ordens… disse o mesmo… amigo..disso o mesmo.
O Tupã continuou o mergulho, em total silêncio. Era uma linda manhã na Costa do Espírito Santo.

Anúncios

Sobre Dalton Almeida

Escritor, jornalista e game designer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: